:::: MENU ::::
  • As respostas para perguntas que poucos fazem.

  • Conteúdo de qualidade, gratuito e legal.

  • Discussões saudáveis. Um espaço para sua opinião.

8/30/2014



"A sociedade é terrível"...quem nunca ouviu algo similar a isto? Quem nunca afirmou que "o mundo" é assim ou que "as pessoas fazem isto", ou melhor, quem NUNCA falou isso?

É inevitável que em alguns momentos da nossa vida iremos nos referir a casos que envolvem a sociedade de forma geral e ao tratarmos da sociedade de forma tão generalizada terminaremos cometendo erros seríssimos. Está afim de saber quais? Continue lendo.

1- Tratar da sociedade como se não fosse parte dela.


Em primeiro lugar por ser o mais claro, tratar a sociedade sem se incluir na discussão é um erro seríssimo, isto além de te tornar omisso aos problemas, também abre brechas para generalizações. Portanto, não se esqueça nunca que você também faz parte da sociedade.


2- Usar acontecimentos para justificar esteriótipos.


"Mulheres não sabem dirigir, negros roubam, brancos são racistas, loiras burras, asiáticos inteligentes, índios ignorantes, e até mesmo políticos são corruptos."

 Nenhuma destas expressões ao serem analisadas corretamente fazem sentido no âmbito sociológico, pelo contrário, revelam o embasamento vazio utilizado para justificar atitudes. O que sabemos é que existem muitos políticos corruptos, mas a condição de político não impede que haja justiça, sendo assim, os esteriótipos devem ser descartados, e substituídos por análises que tenham embasamento, como por exemplo: "Pessoas que nunca tentaram dirigir, provavelmente não conseguiram fazê-lo na primeira tentativa".




3- O que acontece no mundo não tem nada a ver comigo.


Cada injustiça praticada no mundo pela sociedade TEM a ver com você. Cada problema pode ser amenizado ou melhorado quando as devidas providências são tomadas e nada nunca vai acontecer se ninguém fizer algo.

É comum reclamar, mais que isto, é obrigação de qualquer cidadão possuir senso crítico o suficiente para desenvolver suas ideias, e junto a isto, possuir também senso autocrítico para aprender mais com o mínimo.

Tratar dos acontecimentos e injustiças sociais como se nada tivessem a ver com você é com certeza um dos erros mais graves.

4- A minha cultura está correta, a sua...


Todas as vezes que necessitamos de entrar em contato com outras opiniões e culturas, temos ao menos que pouca, curiosidade. As culturas distintas, incluindo aqui religião, são necessariamente diferentes entre si, e devem se respeitar.

Portanto, deixo uma dica, sempre que observar algum costume pitoresco, imagine ele como comum, como se tivesse sido criado daquele jeito... as vantagens e as desvantagens. Sendo ele comum, agora observe o seu jeito de fazer aquilo e os seus motivos, provavelmente vai se surpreender com o quanto nós brasileiros somos estranhos.


5- Ser excessivamente pessimista.


"A sociedade inteira é uma droga!" Bem, talvez para adoçar um pouco sua vida, você precise observar um pouco o bom das coisas, mais que isto, ver o quanto aquilo é útil, sem medo de mudar ou dar passos para trás. Isto se aplica principalmente a sociedade: os problemas não devem ser cobertos de forma imediata, mas todo o caminho deve ser analisado até se encontrar uma possibilidade melhor.



6- Não ter uma opinião livre.


Os meios de comunicação são importantes, mas nunca podemos esquecer que por trás de cada opinião passada existem interesses comerciais, naturais da nossa organização social atual.
Independentemente da crença na infalibilidade, saiba que os interesses pessoais ou mesmo empresariais alteram sim o resultado geral da notícia.

As notícias devem servir de embasamento, este texto deve servir de embasamento puro e simples e nada do que for retirado daqui pode ser tomado como verdade absoluta. O que quer dizer que este texto, por si só, não deve ter validade, ele deve ser pensado de forma crítica antes de ser aplicado a sua vida. Eu, por exemplo, ao escrever este texto, procuro manter minhas ideias o máximo possível distantes de interesses comerciais ou de divulgação, mas não posso negar que tomo cuidado com as palavras utilizadas para ajudar no crescimento do blog. Este é o meu interesse, e para evitar este tipo de modificação, os textos não tem ligação direta com o SEO, depois de escrito eu edito cuidadosamente, inserindo termos mais adequados, atributos mais adequados as imagens ou mesmo "keywords" aparentemente descartáveis no texto.

Isto é natural e melhora o conteúdo, mas este blog não tem fins lucrativos, é administrado por uma única pessoa e não tem intuito algum em um crescimento exagerado. Bem diferente das grandes empresas.


7- Ser incoerente.


Curto, mas inevitavelmente essencial. A incoerência é a negação do que pode gerar questionamentos em nome de um costume. Esta atitude é o suficiente para derrubar e inutilizar vidas inteiras. E mesmo que não seja um tópico com larga discussão seu papel é imprescindível.


"Ilusões, ciência, pseudociência, verdade, mentira, evidências, interpretações, religião e discussões." Todos os termos anteriores são referências claras que levam a discussões. Mas, será que existe algo que consiga distinguir unicamente todos os problemas, e solucionar de uma vez por todas, além de desmistificar as malditas teorias de conspiração de uma só vez?
Solucione todos os seus problemas com o método científico.

8/17/2014


Um grupo de hacker que invade, derruba, rouba, monitora e destrincha sistemas inteiros à procura de informações que sejam úteis a população. Para alguns, inimigos imaginários capazes de iludirem todo o povo em nome de uma liberdade já dominada, para outros, heróis revolucionadores que atuam combatendo o crime e defendendo a democracia. Mas, entre os extremos, o que será que existe de verdade?





Após os acontecimentos relativos a copa do mundo no Brasil e as polêmicas que envolveram o nome da Anonymous resolvi entrar em contato e realizar uma entrevista para que fosse possível esclarecer todos os pontos.

Vale lembrar que as respostas gerais são aplicáveis pois o site é verdadeiramente guiado pelo Anonymous, mas é de minha responsabilidade repetir que a ideia Anonymous não possui um líder.


1. Já que o grupo não possui líderes ou representantes adequados, como diferenciar vídeos e artigos “fakes” dos representantes do já abstrato “ideal anonymous”?

R. O nome "Anonymous" já tem sido utilizado há algum tempo na defesa de interesses particulares, que nada compartilham com a ideologia a qual ela é baseada. O que as pessoas devem fazer, como em qualquer outro assunto, é estudar sobre nossa ideologia, o que defendemos e contra quem lutamos, para que forme uma base teórica que lhe dará condição de discernir entre um discurso coerente e um aproveitador.

2. O Anonymous se diz sem nenhum tipo de ideologia em boa parte de suas auto referências, mas garantir a liberdade de informações em si, não é uma forma de defender uma ideologia por si só?

R. Nós temos sim uma ideologia muito forte e bem fundamentada. O que nós não temos é posição política.

3. O Anonymous não mantém um sistema de governo interior, ou relações comerciais diretas, uma representação perfeita da anarquia que (aparentemente) pela confusão, conseguiu driblar tudo o que se opôs, qual a relação entre os Anonymous e a anarquia

R. Anarquia é um substantivo que abrange uma série de conceitos, e as ideias defendidas pela Anonymous se encaixam em alguns deles. No entanto, a Anonymous não defende nenhum tipo de regime político e nem menos a ausência de um, e por isso já não podem nos chamar de anarquistas.


4. Quais os principais focos? Vocês possuem alguma ligação com casos além da corrupção governamental?

R. Anonymous é uma ideia que defende a liberdade, no sentido mais amplo que você possa imaginar. Utilizamos nossos meios para combater e divulgar escândalos que prejudiquem a população de uma maneira em geral, para que elas se conscientizem e exijam mudanças, e isso vai além de corrupção governamental.


5. Como o Anonymous entende casos como os escândalos do BNDES, e das hidrelétricas no norte do país? E quanto aos outros bancos?

R. Anonymous não entende, pois Anonymous é uma ideia. Se você repetir essa pergunta para 100 pessoas que seguem o ideal Anonymous, receberá de volta 100 respostas diferentes. No entanto, em linhas gerais, a ideologia objetiva o combate e a denúncia de qualquer tipo de corrupção ou escândalo que prejudique a população, principalmente a parcela mais prejudicada e que não há com quem contar com sua defesa. 


Antes de continuar lendo, se não leu, leia o nosso artigo sobre o Anonymous:


http://descoise.blogspot.com.br/2014/08/anonymous-a-historia-do-grupo-de-hackers.html


Sobre a copa

1. Já que segundo Joana Havelange “O que tinha que ser roubado já foi”. Qual o principal motivo para tentar se manter protestando mesmo durante a copa do mundo?

R. Nós não protestamos contra a Copa do Mundo, nós protestamos pelo que está por trás dessa organização. Independente se ela ocorre ou não, nós não somos contra o evento em si. O que nós combatemos já existia antes do mundial, está existindo agora e irá continuar existindo depois. É claro que a repercussão das ações que são realizadas durante o evento tomam uma proporção maior, e isso é de nosso interesse, para difundir nossas ideias para a população, mas é importante salientarmos que nossa luta é muito mais abrangente.

2. Houve alguma queda no número de pessoas nos protestos depois do início da copa, ou ainda existem planos maiores? E dentro do “grupo” Anonymous alguém se manifestou a favor da Copa do Mundo?

R. Nós não organizamos manifestações, nós simplesmente ajudamos na divulgação. A grandeza das manifestações depende de fatores que não estão sob nosso controle. Nosso trabalho é levar a verdade para a população, para que ela se organize e se mobilize na exigência das mudanças. Se for uma manifestação de rua, ajudamos a divulgar e levar ao conhecimento do público em geral pelos nossos meios - foi assim em junho de 2013. É claro que apoiamos aquilo que está de encontro com a nossa ideologia. Não apoiamos, por exemplo, eventos que pedem a volta do regime militar, ou atos religiosos e reacionários. Somos uma ideia revolucionária fundamentada pela liberdade. Se alguém realmente segue o ideal Anonymous e concorda com a realização da Copa do Mundo FIFA, na maneira a qual está sendo feita, essa pessoa está sendo totalmente contraditória.

3. Qual o papel do Anonymous no combate a corrupção no Brasil? Oque vocês já fizeram?

R. Nós "caçamos", por vias digitais e tradicionais, indícios ou provas de esquemas de corrupção, e então divulgamos pelos nossos meios. Você pode conferir em nosso site na seção Dossiês (http://www.anonymousbrasil.com/dossies/). Vale lembrar que este é apenas o trabalho de uma única célula de um único país.


4. Se você (ou os anonymous mais próximos) pudessem enviar uma mensagem, ou imagem para as gerações futuras, o que gostariam de mostrar?

R. Pesquise, estude, questione, veja, re-veja, leia, aprenda.


Há muito tempo discussões surgiram entre meus amigos sobre a legalização do aborto, e ataques à parte, foi impossível não se aprofundar detalhe a detalhe no tema. O conteúdo abaixo disponibilizado mostra todas as facetas e os principais acontecimentos nesta disputa, além de documentários inesquecíveis capazes de mudar a opinião de muitos.

"O que discutir diante da vida que está por vir?" Os argumentos apaixonados surgem de todos os lados, enquanto, em uma proporção menor, alguns gritam em nome dos direitos da mulher e do respeito as escolhas. Mas estaríamos incorretos em considerar válido o aborto? Estupros, sexo sem prevenção, risco de morte para a mãe, bebês incompatíveis com a vida e tudo mais são fatores incrivelmente influenciadores, e mais ainda presentes. A discussão não deveria ter terminado onde terminou.

8/11/2014


Para defensores da profissão, ou praticantes da mesma, pode parecer cada vez mais difícil ver que acusações e receios de todos os lados se tornam cada vez mais frequentes. Mas o mito de atos abusivos de policiais parece se desfazer nos relatos por parte deles próprios, esta profissão essencial, de fato tem ligações com as acusações de abusos, ou isto não passa de pura e simples "intriga da oposição"?

Algo a dizer? Contate-nos